Transformações contadas na 1ª pessoa - Luís

quinta-feira, novembro 24, 2016



A transformação de hoje é do Luís, que vive em Macau. O Luís deixou de fumar (e já fumava há mais de 30 anos!), adoptou um estilo de alimentação mais saudável e passou a dedicar-se a sério aos treinos. Hoje treina com regularidade e nos dias em que não pratica desporto sente até falta do treino. Um verdadeiro exemplo de superação e de força de vontade.

O Luís mede 1.80m e quando começou esta nova fase pesava 89/90 kilos. Hoje pesa apenas 76/78 e mudou radicalmente o seu estilo de vida. Perdeu mais de 10 kilos mas mais importante que isso perdeu gordura e ganhou massa muscular - as fotografias falam por si! E mais admirável ainda é o facto de ter iniciado esta mudança em casa, provando que não é necessário ir para um ginásio para ter resultados.

Espero que se sintam tão inspirados como eu me senti :-) Se gostam desta rubrica ou se tiverem alguma dúvida ou sugestão deixem o vosso comentário, é importante para nós e para o Luís.

Se quiserem partilhar a vossa mudança, deixem um comentário neste post ou entrem em contacto via email: 6800milhas@gmail.com.


1. O que é que te fez ganhar peso?
Tenho a certeza que todos nós sabemos o que não deve ser feito para que não se ganhe peso! No meu caso, foram vários factores, tais como o sedentarismo, a ausência prologada da prática de desporto, consumo de alimentos em excesso às refeições e uma vida profissional bastante desgastante. E o ter deixado de fumar também contribuiu para o aumento de peso, dado que comecei a recorrer ao consumo de alimentos para saciar o desejo pela nicotina e demais substâncias que o cigarro contém.

2. E o que é que finalmente te fez pensar "basta" e te levou a adoptar um estilo de vida saudável?
É comum dizer-se que basta um susto para que algo nas nossas vidas tenda a mudar por nossa iniciativa. Foi o meu caso. Foi com base nesse susto (que não vou aqui revelar) que acordei para o facto de na altura não estar fisicamente apto!




(P.S - Antes que dispare a polémica, a 2ª foto foi tirada de frente para o espelho daí a tatuagem estar do outro lado e foi retocada e aumentada, pois passaram-se 3 anos.)

3. E que mudanças fizeste na alimentação?
Quando comecei o percurso que ainda percorro, não liguei muito à alimentação, apenas me limitei aos conhecimentos que tinha sobre o tipo de alimentação que se deveria ter para quem faz "musculação", práticas de há mais de 20 anos que actualmente estão desactualizadas e inadequadas ao meu corpo. Tive que me mentalizar que teria que seguir um regime alimentar adequado para os fins pretendidos: perder gordura e aumentar a massa muscular. Comecei a pesquisar na internet informação sobre o assunto, até que sou confrontado com algo que nunca tinha ouvido (nem há 20 anos atrás quando pratiquei musculação!), que é o seguinte: 80% para um corpo saudável provém da cozinha e os outros 20% do exercício físico!!! Sempre deduzi que a prática de desporto é que teria maior influência, mas estava enganado! Tal ainda mais contribuiu para uma mudança radical na minha alimentação que fosse ao encontro dos fins pretendidos. Com essa informação que recolhi e recolho, actualmente faço refeições com peixe, carnes brancas, vegetais, hidratos de carbono complexos, gorduras saudáveis e essenciais ao corpo humano. Bebidas alcoólicas praticamente desapareceram da minha mesa (excepto nas épocas festivas e/ou aniversários). Tento sempre recorrer a refeições que não me estraguem o esforço e sacrifício até aqui desenvolvido. Devo admitir que nestes últimos três anos penso ter aprendido muito (e não tudo) sobre o funcionamento do corpo humano no que toca a este campo e alguma coisa sobre nutrição. Quanto ao consumo de líquidos, água e muito diariamente! 
Há cerca de um mês atrás comecei a fazer uma dieta que se designa por ciclo de hidratos de carbono ou "carb cycling" que me parece estar a resultar e que consiste em dias de high carb e dias de low carb consoante os músculos que treino. Mas para alguém interessado, sugiro que procurem um nutricionista ou informação sobre o assunto na internet.







4. Quanto é que deixaste de fumar? Há quantos anos fumavas? Foi muito difícil parar?
Como referi, deixei de fumar antes de iniciar este percurso, o que me levou a engordar. Fumava há mais de 30 anos, com um período de interrupção de 3 anos, em Portugal! Como qualquer vício, nunca é fácil parar e a mim custou imenso, como penso que deve custar a toda a gente que fume! Mas o meu conselho, se é o que possa dar, é que deixem de fumar, se eu consegui, todos aqueles que o assim desejam, o conseguirão!

5. Procuraste a ajuda de algum nutricionista, personal trainer ou aderiste a algum ginásio ou grupo em Macau?
Nutricionista e personal trainer não, mas se entender ser necessário recorrerei a esse tipo de especialistas. Mas no meu caso, dado que recorri e continuo a recorrer à informação deste género disponível na world wide web, acabo, de alguma foram, por ter vários nutricionistas e personal trainers! Só aderi a um ginásio há pouco mais de um ano, dado que, nos primeiros dois anos fazia os exercícios, com o equipamento que adquiri, em casa. Optei pela inscrição no ginásio porque percebi que o meu corpo pedia exercícios com mais peso e um pouco mais de variedade.




6. Tiveste o apoio da tua família e amigos? Como é que as pessoas reagiram a este novo estilo de vida?
Da família claro que tive e tenho esse apoio, mas mesmo que não o tivesse isso em nada me impediria de tomar este percurso. De amigos também! A reacção não devo dizer que foi de espanto, penso que todos a encararam como sendo algo positivo, embora muitos familiares e amigos não tenham seguido idêntica opção. Mas fico contente quando vejo alguém seguir semelhante percurso influenciado por mim!

7. Qual foi o teu maior obstáculo/dificuldade durante este percurso?
Penso que, até hoje, não fui confrontado com um verdadeiro obstáculo ou dificuldade! Isso poderá existir sim, dentro de nós, como por exemplo: de manhã quando me levanto (bastante cedo) para ir para o ginásio e algo me diz "mantém-te a dormir, deixa-te disso, vais amanhã" e eu ignoro e levanto-me! Ou até mesmo quando se vê determinadas sobremesas (aquelas que nós sabemos que fazem mal ao corpo e bem à alma) e arranja-se maneira para nos desculparmos para as comer mas por fim consegue-se evitar! Isto só para frisar que mesmo existindo dificuldades ou obstáculos, havendo força de vontade, consegue-se tudo, nomeadamente, quando se trata da nossa saúde! Muitos especialistas na matéria referem que quanto menos gordura (da prejudicial) tivermos no nosso corpo mais anos de vida teremos. Penso que isto diz tudo e independentemente da dificuldade ou obstáculo que eventualmente possa aparecer, teremos força, querendo, para a ultrapassar, visando o nosso objectivo. Alerto que este processo não dura de um dia para o outro, nem da noite para o dia ou vice-versa, é algo que demora o seu tempo até se verem ou se obterem os resultados pretendidos. Não existe nenhum treino ou comprimido milagroso, que eu saiba, que nos faça perder peso, queimar gordura  crescer os músculos num abrir e fechar de olhos. Este percurso exige muita teimosia, organização, paciência e muita força de vontade. O nosso melhor amigo será o espelho! É o espelho que regista e reflecte o nosso percurso. É o espelho que reflecte se o processo corre bem e quando o processo corre mal. Não é a balança!

8. Achas que em Macau é fácil de adoptar este estilo de vida? Sentes dificuldade em encontrar produtos saudáveis e em conta no supermercado? Os restaurantes têm opções saudáveis?
Penso que em Macau, como em qualquer outro sítio evoluído, nunca é fácil adoptar este estilo de vida. Como referi tudo depende de nós!
Os produtos em causa existem em Macau mas não são abundantes, mas já começa a haver mais, mas o seu preço é muito superior comparado com o de outras cidades de outros Países. Muitas vezes prefiro encomendar pela internet por ser mais barato. Penso que uma vez as pessoas sendo "ensinadas" ou "orientadas" para este tipo de alimentação que algo poderá mudar neste aspecto.
A maioria dos restaurantes não tem o menu saudável, tento optar por comer algo que vá ao encontro das minhas exigências, mas mesmo assim com algumas reservas, dado que não sou eu quem as confecciona. Também se começa a ver quiosques que vendem refeições ditas saudáveis e tive conhecimento que há um ou dois restaurantes que confeccionam refeições adequadas para este tipo de dieta, mas nunca recorri a estes por não ter ainda essa necessidade. Nada melhor do que tudo ser confeccionado em casa.

9. O que é que dirias às pessoas que tentam perder peso e não conseguem?
Não sei se sou a pessoa exacta para dizer a essas pessoas algo sobre o assunto! Mas se a força de vontade persiste, os hábitos alimentares foram devidamente alterados e o exercício físico está presente, algo que a pessoa está a fazer (ou não faz) está errado. Portanto, aconselho a consultar um profissional (médico e/ou nutricionista).

10. E a quem quer deixar de fumar?
Pois, o que interessa é o "querer deixar de fumar"!" Dizer-se que se vai deixar de fumar, mas ao fim de uns dias depois, voltar a pôr o cigarro na boca aceso, não se vai lá! Deixar de fumar também não é algo que ocorre de um dia para o outro, demora muito tempo até o organismo deixar de estar dependente da nicotina. Eu recorri a uns pensos de nicotina que usei nos primeiros meses, mas não cheguei a usar toda a embalagem. Aqui, penso eu, a força de vontade de cada um de nós é o factor fundamental e imprescindível para ter sucesso neste processo (doloroso)!

11. Alguma receita saudável e simples que queiras deixar aqui para quem te lê?
Aqui vai algo "criado" pela minha esposa:

Hambúrger de feijão (prato vegetariano)
5 tomates de rama
3 dentes de alho picado
sal e pimenta q.b
azeite q.b ou óleo de coco q.b
vinagre q.b
oregãos q.b
100g de feijão vermelho cozido
100g de feijão branco cozido
100g de feijão frade cozido
100g de feijão preto cozido
(ou então 400 a 500g de uma só espécie de feijão)
1 fatia de pão ralado fresco
3 c. de sopa de cebola picada
2 ovos
2 c.sopa de pimento encarnado picado
rúcula ou salada ou quinoa q.b

1º Retirar as sementes aos tomates e picar. Colocá-los numa taça juntamente com um dente de alho picado e temperar com sal, pimenta, azeite, vinagre e orégãos. Reservar.
2º Escorrer bem os feijões e pô-los numa taça de plástico. Esmagá-los grosseiramente com a ajuda de um esmagador de batatas.
3º Adicionar o pão ralado, os restantes alhos picados, a cebola, os ovos e o pimento. Misturar bem e temperar com sal e pimenta.
4º Formar quatro hambúrgeres com a mistura anterior e levá-los ao frio por 30 minutos. Aquecer um pouco de azeite ou óleo de coco numa frigideira anti aderente e fritar os hambúrgers durante cerca de 4 minutos de cada lado.
5º Consoante o vosso gosto, servir os hambúrgueres com quinoa, salada ou no pão previamente torrado com rúcula e salada de tomate.

Se ainda não leram a primeira história de transformação (a minha) cliquem AQUI.

Para updates diários, façam like no 6800milhas AQUI ou sigam-nos no Instragram @6800milhas. Se quiserem entrar em contacto connosco, por razões pessoais ou parcerias, enviem-nos um email para 6800milhas@gmail.com

You Might Also Like

4 comentários

  1. Uma entrevista muito interessante. Muitos parabéns ao Luís por ter conseguido alcançar os seus objectivos. Irene

    ResponderEliminar
  2. Que transformação mais incrível! Não só pela perda de peso, mas também pela autonomia com que foi feita e pelo estilo saudável e rotina de exercício físico que persiste. O Luís está mesmo de parabéns!
    Adorei a receita com tantos tipos de feijão :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi mesmo uma transformação no verdadeiro sentido da palavra. Conheço o Luís pessoalmente e para mim foi uma grande alegria primeiro vê-lo deixar de fumar e depois adoptar este estilo de vida.
      A receita deve ficar óptima, tenho que experimentar também :-)

      Eliminar