Transformações contadas na 1ª pessoa - Catarina

sexta-feira, outubro 14, 2016



Vamos começar por aqui uma nova rubrica - Transformações contadas na 1ª Pessoa. Onde iremos falar com pessoas que tenham mudado a sua alimentação pelas mais variadas razões (emagrecer, estética, estilo de vida, etc).
E nada melhor que começar com a mudança da nossa Catarina (a outra boss deste estaminé) ;)
A Catarina mede 1,55cm e quando começou esta nova fase, pesava 69 quilos e tinha 45,5% de massa gorda no seu corpo. Hoje em dia, pesa 52 quilos e tem apenas 26,3% de gordura corporal. Só daqui se vê, que não é apenas importante analisar os quilos que vemos na balança. A Catarina passou de quase 50% de gordura para estes fantásticos 26%. Uma grande vitória ;)
Deixo-vos agora com algumas das perguntas que lhe fiz. Espero que se sintam inspirados, e se tiverem alguma dúvida ou sugestão a colocar, estejam à vontade.
Se quiserem partilhar a vossa mudança connosco, deixem um comentário aqui nesta publicação, ou entrem em contacto via e-mail - 6800milhas@gmail.com


1. O que é que te fez ganhar peso?
Quando fui estudar Direito para Portugal e saí de casa dos meus pais, comecei a comer mais junk food e a fazer menos exercício. Quando terminei o curso, voltei para Macau mas devido à intensidade e stress do estágio continuei a comer mal e a ter vários episódios de compulsão. Emagrecia uns quilos com alguma dieta restritiva para logo ganhar o dobro.

2. E o que é que finalmente te fez pensar "basta" e te levou a adoptar um estilo de vida mais saudável?
Olhava ao espelho e não me reconhecia. Tenho 1,55m mas já estava com 69 quilos. Em 2010 ia casar e decidi que esse seria o ano ideal. Quem me deu o empurrão foi a minha mãe. Se não fosse ela, nunca teria consultado um nutricionista nem iniciado esta mudança de hábitos. Lembro-me de ir relativamente descontraída à primeira consulta até ver a minha % de gordura corporal - 45,5%. Como assim?! Quase 50%! E as pessoas diziam "não parece, não parece nada". As pessoas confundem muito "emagrecer" com perder peso na balança. Mas isso é ilusório. Uma pessoa que tenha mais músculos vai pesar mais do que uma que seja magra mas tenha muita gordura visceral, por exemplo (as tais "falsas magras"). Espelho, fita métrica e um adipómetro são os nossos melhores amigos :-)


3. Que mudanças fizeste na alimentação?
Na altura fiz uma reeducação alimentar. Cortamos com os refrigerantes (excepto coca-cola 0 de vez em quando), açúcar, farinha branca, gorduras trans, etc. Passei a consumir alimentos integrais e mais frutas e vegetais. Actualmente, tento comer o menos possível de produtos industrializados, dou prevalência a gorduras boas (oleaginosas, abacate, azeite, óleo de coco), tento introduzir mais vegetais e consumir mais água. Tenho um sério problema em beber água...Sim, conheço o truque das águas aromáticas...mas nem isso funciona :-p

4. Procuraste a ajuda de algum nutricionista, personal trainer ou aderiste a algum ginásio ou grupo de exercício em Macau?
Quando iniciei a mudança, em 2010, tive acompanhamento de um nutricionista em Macau, o Dr. Joseph Chow da Clínica Amazing Grace. Fiz um acompanhamento de 8 meses que consistiu em 6 meses de emagrecimento e 2 de manutenção. Terminei o acompanhamento com 54, 5 quilos e 31% de gordura corporal.
Estava tão desmotivada que o acompanhamento foi essencial, não só para reaprender a comer para nutrir o corpo como para não fazer de um dia da "asneira", a semana da "asneira". Esse acompanhamento incluía 10 sessões com um personal trainer o que foi também muito importante para não ganhar flacidez.
Depois do acompanhamento, fiz alguns programas de exercício em casa (Body Combat, TFocus25, Insanity Max, etc, do Beach Body). Também experimentei o bootcamp e o crossfit em Macau, mas onde me sinto bem é no ginásio. Gosto de combinar musculação com hiit, acho que é o que funciona bem para mim e por isso estou a frequentar o ginásio Macao Fitness, no Aia Tower.
Actualmente, com a quantidade de informação disponível acho que qualquer pessoa sabe o que faz bem e o que faz mal, o que falta é perceber "ok, como é que eu chego do ponto A ao ponto B sem me perder e sem fazer demasiadas restrições?". Cada pessoa é única e o que funciona bem para mim, pode não funcionar para outra. Por isso acho que cada vez mais, o papel do nutricionista e de um health coach é fundamental.


5. Tiveste o apoio da tua família e amigos? Como é que as pessoas reagiram a este novo estilo de vida?
Dos meus pais, irmã e marido sem dúvida. Se não fosse a minha mãe nunca teria chegado onde estou hoje. Dos amigos em certa medida também mas há sempre quem ache que somos obcecados por um estilo de vida saudável. Eu não acho isso, se me convidarem para ir a um bar ou a um restaurante não tenho problemas em beber um cocktail ou comer um bolo de chocolate se me apetecer. Até porque às vezes é importante "alimentar" a alma :-) Mas no dia-a-dia gosto de me alimentar de forma saudável, de levar marmitas, de ir ao ginásio, etc. Para mim isso é equilíbrio, não é nenhum sacrifício.

6. Qual foi o teu maior obstáculo/dificuldade durante este percurso?
Sem dúvida alguma que o maior obstáculo são as ocasiões sociais. Todas as semanas há jantares, almoços ou outro tipo reuniões familiares. E é preciso pensar "o que é que eu quero neste momento? Será que gosto assim tanto desta sobremesa?". Se a resposta fosse sim ainda me questionava "Se eu comer só isto, consigo depois voltar novamente para a "dieta"?". Se a resposta fosse sim, então ok, comia sem culpa. O meu problema é que geralmente se comia a sobremesa, depois à noite apetecia-me um chocolate, no dia seguinte hambúrguer e por aí vai... O que fiz foi pensar que era temporário e quando já estava quase no final do percurso proposto já introduzia duas asneiras por semana. Mas lá está, depende de cada um. Há quem prefira comer dois quadrados de chocolate por dia, há quem prefira fazer uma única refeição - a conhecida refeição do lixo. Há quem programe essa refeição para um dia especifico, há quem simplesmente a faça num evento social...

7. Achas que em Macau é fácil adoptar este estilo de vida? Sentes dificuldade em encontrar produtos saudáveis e em conta no supermercado? Os restaurantes têm opções saudáveis?
Não, não é fácil!! De maneira nenhuma...Falemos de coisas básicas como frutas e vegetais. Nos supermercados são caríssimos e estragam-se num abrir e fechar de olhos por causa da humidade. Ainda tentei aderir a um cabaz semanal de vegetais orgânicos (da blissfull carrot) mas o meu marido não come praticamente nada e para mim era demasiada quantidade. Agora geralmente, compro na mercearia, na vila de Coloane, mas nem sempre há a variedade que eu gostaria.
Gostaria também de consumir só ovos de galinhas felizes mas são caríssimos (80 patacas por 6 ovos...). A mesma coisa com os peitos de frango, etc. A maior parte da carne de boa qualidade é muita cara e a congelada deixa muito a desejar.
Em termos de sementes, farinhas de oleaginosas e outros produtos (cuja oferta é cada vez maior em Portugal) cá ou não se encontram ou são caros. Prefiro encomendar, geralmente faço-o do site do iherb pois os portes são baratos e as coisas chegam em 3 dias.
Em termos de restaurantes há poucos restaurantes com um conceito de alimentação saudável e não é fácil fazer boas escolhas.


8. O que é que dirias às pessoas que tentam perder peso e não conseguem?
Não tentem fazer uma "dieta", tentem encontrar um estilo de vida saudável que consigam manter a longo termo. Mexam-se mais, comam menos quantidade do que faz mal e mais do que faz bem. Introduzam pequenos hábitos pouco a pouco. Procurem motivação nas redes sociais, instragram, facebook, snapchat e no nosso blog :-)
Peçam ajuda a amigos e familiares.
Eliminem pensamentos destrutivos, há muitos motivos para a pessoa não emagrecer (problemas hormonais, genéticos, etc) por isso façam análises para ver se está tudo bem.
Não comecem na próxima Segunda, o vosso corpo não sabe se é Segunda, Quarta ou Domingo. Comecem hoje. Venham comigo!


9. Alguma receita saudável e simples que queiras deixar aqui para quem te lê?
Sim, estes bolinhos de cacau e coco ralado são um óptimo lanchinho e são muito simples.


Bolinhos de cacau e coco ralado
Batam 3 ovos.
Juntem 1/2 chávena de coco ralado sem açúcar,
1/4 de chávena de cacau,
2 colheres de sobremesa de óleo de coco,
1 colher de sobremesa de fermento,
1 colher de café de açúcar de coco (ou stevia q.b)
1/4 de chávena de leite de amêndoas.
Levem ao forno por 20 minutos a 180C e está pronto!


Para updates diários, façam like no 6800milhas AQUI ou sigam-nos no Instragram @6800milhas. Se quiserem entrar em contacto connosco, por razões pessoais ou parcerias, enviem-nos um email para 6800milhas@gmail.com

You Might Also Like

10 comentários

  1. É verdade nota-se mesmo a diferença...e eu que estou muito tempo sem te ver aí é que se nota...tas mais bonita em todos os sentidos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado linda :-) E agora é a tua vez, também quero daqui a uns meses publicar aqui a tua história. Qualquer coisa conta comigo.

      Eliminar
  2. Foi óptimo ler a história... tinha perdido a noção que tinhas começado há 'tantos' anos... e conseguiste. É fantástico ver como te fez bem 😃

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Filipa :-) E eu também estou a adorar incentivar-te e ver o teu progresso!

      Eliminar
  3. Que mudança fantástica! Imagino que com limitações em termos de alimentos frescos e saudáveis (e ainda o stress associado a mudar para Portugal e depois regressar a macau) seja mais difícil, por isso a Catarina está duplamente de parabéns :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, não é fácil mas não há impossíveis. Agora é manter :-) Obrigado!

      Eliminar
  4. è tudo inspiração para quem pretende objetivos parecidos.
    :-)
    Nélia Cunha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Nélia. Também outras histórias me ajudaram a mim :-)

      Eliminar
  5. Parabéns!! Fantástica transformação :D
    Mais uma coisa... vivo em Estarreja e achei curioso verificar que tb viveste!
    Continuação de um modo de vida saudável!
    Beijinho
    Teresa Carvalho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Macy :-)
      Pois vivi, há muito tempo! Como está Estarreja? Se aí voltasse o que me aconselhavas a visitar? :-)
      Bjinho

      Eliminar